Archive for Abril, 2008

O pinhal

Abril 1, 2008

 

 

verde-pino.jpg

Cantiga de Amigo 

         – Ai, flores, ai flores do verde pino,

Se sabedes novas do meu amigo?

           Ai, Deus, e u é?

 

Ai, flores, ai flores do verde ramo,

Se sabedes novas do meu amado?

          Ai, Deus, e u é?

 

Se sabedes novas do meu amigo,

aquel que mentiu do que pôs comigo?

          Ai, Deus, e u é?

 

Se sabedes  novas do meu amado,

aquel que mentiu do que m’á jurado?

         Ai, Deus, e u é?

                  (…)   D.Dinis,  (1261-1325)

 http://cantigas.fcsh.unl.pt/cantiga.asp?cdcant=592&tr=4&pv=sim

pinhal1.jpg

 

É o pinhal que ladeia a casa  e a horta a poente, e a sul se estende na colina depois do vale, reflectindo-se inesperadamente em alguns recantos, por toda a casa. O aroma das suas flores primaveris enche o ar, tal como nas memórias que trazemos da nossa infância e das férias da Páscoa em passeios e descobertas, onde as abelhas povoavam as flores da urze, do tojo, dos lírios e das “pascoelas”, com um cheirinho inesquecível.

 

O pinhal convida a passeios tranquilos para saborear a brisa da encosta, encontrar palheiros ( cibanas e medas) tão antigos como o cheiro da palha que ainda guardam, ou apanhar pinhas e troncos caídos no chão, para acender a lareira no regresso a casa. Apenas apreciados por aqueles que sabem o valor das coisas simples e verdadeiras…das coisas da terra.

 

west-vilage-traditions.jpg